segunda-feira, 27 de julho de 2015

Desabafos #2

Enquanto as minhas amigas fazem pin it em "como fazer exercício físico fora do ginásio";  "como perder a barriga em 15 dias"; "como ter o melhor bíceps femoral do mundo"...
 
...eu no Pinterest vejo receitas com muito queijoooooo!
 
 
 

 

Tecnologia & Família

5 conselhos do Papa sobre internet e televisão


1­. Deitar livros fora, mudar de canal. “Na época da imagem há que fazer o que se fazia na época dos livros: escolher o que me faz bem". Por isso, “há que saber escolher os programas, e esta é uma responsabilidade nossa. Se vejo que um programa não é bom para mim, que deita por terra os valores, que me torna vulgar, ou que contém cenas desonestas, tenho que mudar de canal. Como se fazia na minha época 'da lousa': quando um livro era bom, lia-se; quando um livro fazia mal, deitava-se fora".
 
2­. Fugir de ser escravos do computador. Cuidado com “a fantasia má, a fantasia que mata a alma. Se tu, que és jovem, vives ligado ao computador e te convertes num escravo do computador, perdes a liberdade. E se procuras no computador programas desonestos, perdes a dignidade". Tanto na televisão como na internet “há coisas sujas, que vão da pornografia à semi­-pornografia".
 
3­. Não à televisão-lixo. Atenção também “aos programas vazios, sem valores; por exemplo, programas relativistas, hedonistas, consumistas, que fomentam todas essas coisas. Nós sabemos que o consumismo é um cancro da sociedade. Falarei disso na próxima Encíclica, que sairá este mês".
 
4­. Computadores e televisões, num lugar comum da casa. “Há pais muito preocupados que não permitem que haja computadores nos quartos das crianças; os computadores devem estar num lugar comum da casa. Estas são pequenas ajudas que os pais encontram" para evitar que os filhos se exponham a todo este tipo de material.
 
5­. Não comer em família com o telemóvel. “Estar demasiado apegado a computadores, telemóveis, etc. faz mal à alma e retira a liberdade: faz-te escravo desses meios. É curioso, em muitas famílias os pais e as mães dizem-me: estamos à mesa com os filhos e eles, com o telemóvel, estão noutro mundo".
 
* * *
“É verdade que a linguagem virtual é uma realidade que não podemos negar; devemos levá-la pelo bom caminho, porque é um progresso da humanidade. Mas quando nos leva para fora da vida em comum, da vida familiar, da vida social e também do desporto, da arte... e ficamos presos ao computador, isso é uma patologia".
 
tirado D'AQUI

quarta-feira, 22 de julho de 2015

terça-feira, 21 de julho de 2015

Queridos Papás leitores do HEart

Give Away | Monozigo Sisters & Amor Algodão
É impossível resistir a um bebé com um fato-de-banho destes.....
Praticipe---------- + info's: AQUI
 
 
 

segunda-feira, 20 de julho de 2015

Açorianidades #1

imagem tirada d'aqui
 
 
...e depois há aquele estranho momento.... em que tu percebes que tens tanto gosto em, numa só grafada, meter um habitat de 190 espécies de seres vivos na tua boca acompanhados por uma cervejinha. AQUI

sexta-feira, 17 de julho de 2015

inspire #9

É sexta-feira e o meu trabalho exige.....
....uma bebida-bem-forte-na-esplanada-mais-próxima-do-mar-se-faz-favor!
 
 

O romantismo de uma família numerosa (ou então não...)

 
«(...) “O que é que uma laranja nojenta está a fazer na casa de banho?!” “Fui eu”, respondi baixinho. (...)»
Inês Teotónio Pereira

quarta-feira, 15 de julho de 2015

Desabafos #1

Desculpem o-desabafo-nada-a-ver....
Mas todos os dias o  Facebook pergunta-me: "quais são os livros que já lestes?" Apresentando sempre, mas sempre  As 50 sombras de Grey e o Principezinho, como se  fosse mais ou menos a mesma coisa.... 
 
Dear Mark Zuckerberg, não, não li as "50 Sombras de Grey" e não tenho vergonha de dizer que não li, como também não vi o filme, não costumo consumir m*#$% só porque está na moda, e pode deixar o meu Principezinho em paz se faz favor? 
Volta Nicholas Spark estás perdoado.
 
 

inspire #7

-Depois da minha passagem por Lisboa!
-Depois de apanhar uma constipação porque queria aproveitar cada segundo com eles!
-Depois do Alive!
eis a minha inspiração da semana:
 
 
 

Fatos de Banho e AVISO DE AMIGA

Não entro na discussão fato-de-banho vs biquini, porque acho que não é essa a questão no que toca à conversa sobre o bem-vestir/despir na praia. O que interessa sempre, em 1900 ou em 2020, é que a mulher esteja digna e que construa na sua imagem o respeito e admiração que quer que os outros tenham por si. E isto é tão difícil que muitas vezes não há fatos-de-banho que salvem a honra de uma mulher. Nem os de agora nem os de 1900.
Mas é inegável que um bom fato-de-banho, bem forrado, e bem escolhido é a melhor escolha para o traje estival. É super elegante e dá-nos muito mais hipóteses de styling.

Eu, como em tudo na vida, vejo a ida à praia como uma oportunidade de estilo. Se antigamente me preocupava em levar chapéu, pareo, pulseiras e brincos em conjuntos com muito styling, hoje em dia com a minha creche ambulante, que adoro, continuo a querer-me com estilo e feminina, (as Mães continuam a ser mulheres), mas tenho outras condicionantes que me limitam um pouco a escolha. 

Por exemplo, AMO, a sério, os fatos de banho da Lenny Niemayer. E só de os experimentar, tenho vontade de nunca mais comer e passar 12h por dia numa elíptica para poder ficar linda dentro deles.
Acontece que apesar de lindos, neste momento simplesmente NÃO DÁ.
Este é meu, escusam de ir comprar igual
Não há problema. Há outros, que são feitos mesmo para o tipo de corpo que tenho agora e cujo corte, tecido e construção ajudam a disfarçar o que tem que ser disfarçado e harmonizar o conjunto, para que na praia olhem descaradamente para MIM, e não para PARTES DE MIM.

Eu quero disfarçar umas coisas, outras mulheres quererão disfarçar outras.


Para isto, tudo isto, minhas queridas, há o piso 7 do El Corte Inglés. (claro que há muito boa marcas portuguesas com fatos-de-banho excelentes, mas aqui têm o factor variedade)
(Não é publicidade paga, é só mesmo porque gosto das minhas leitoras. Ainda assim, querido El Corte Inglés, a sério que não me importo de ser patrocinada (o meu mail está no meu perfil, é só contactar).)

Desde a própria Lenny, a La Perla, Água de Coco, Cia Marítima...até às marcas El Corte Inglés, com fatos de banho bonitos, bem FORRADOS e desenhados para diversos tipos de corpo.
Enquanto consultora de imagem, nem imaginam a vontade que me dá ficar nos provadores a dizer às senhoras "para si deve escolher só estes tipos de fato-banho", "esta cor não, leve antes estes tons"...poupava tanto tempo e tanto constrangimento a muitas senhoras que por lá vi!!
Por isso queridas amigas, têm o meu contacto. Sozinhas ou comigo, vão lá espreitar e vejam o que vos fica bem, as cores, os cortes, os materiais. Têm de tudo e zero desculpas para não povoar as praias de Portugal de verdadeira beleza!






'90's Trend Alert

Tem um nome feio, eu sei. Mas depois não digam que não sou vossa amiga e que não vos digo como estar na moda, sim?
Os anos 90 voltaram e com eles os choker, lembram-se?

Não sei quanto a vocês, mas eu tinha de várias cores e fazia muita questão de usar todos os dias. Achava lindo. Agora já não acho, mas ainda assim vou já comprar um e fingir que voltei ao meus teens.










terça-feira, 14 de julho de 2015

o dilema da peruca

Coragem: do latim coraticum, do francês cor-age.

 
 Eu acrescento, será que a Professora Estrela Serrano, antiga assessora de Mário Soares, com o seu raciocínio achará que a doença e morte da Senhora D. Maria Barroso foi "uma jogada de marketing"?

segunda-feira, 13 de julho de 2015

Exposição: "Vestidos de Noiva Inesquecíveis" no Palácio de Cadaval

Tem como curador Hubert de Givenchy e a conversa podia terminar assim mesmo, que estava tudo dito.
Tive convite para a inauguração mas, (facada, facada, facada), não fui e perdi a oportunidade de uma vida, porque o próprio Senhor Hubert esteve cá, mais um grupo de seres humanos interessantísimos, artistas de verdade, daqueles com quem me imagino tardes sem fim a conversar. Pronto, não falemos mais nisto.

Estive lá com uma amiga-irmã, ultra-estilosa e ex-blogger deste HEart, nos tempos da fundação. Só para dizer que é de arrepiar e de uma pessoa se comover. A beleza dos tecidos, os cortes, as costuras, a genialidade dos materiais, a ousadia daquelas mulheres e a vontade de nos pôrmos em cada um deles é arrebatadora. Givenchy, Balenciaga, Carolina Herrera, Yves Saint Laurent, Philip Venet, Christian Dior.


Fui e hei de lá voltar, desta feita de boa câmera na mão. Porque ser Mãe também é preparar as filhas no gosto e na arte, e no dia em que elas procurarem inspiração para os seus vestidos de noiva, antes do Google vão olhar para as fotografias detalhadas destas obras de arte e perceber porque devemos fazer das nossas vidas "lugares de beleza".
E também porque o vestido noiva da Mãe foi inspirado num que está lá.


(fotografias João Bacelar, no blog de Susana Jacobbety)






domingo, 12 de julho de 2015

psst.... Está alguém em casa?

Não, não estás esquecido. Pelo contrário, estás bem presente. Eu é que não me sinto boa companhia para passar de vez em quando. Ias-te cansar com a adrenalina do meu dia-a-dia. Não ias perceber porque ando sempre carregada com mil malas. Ou porque dou voltas ao meu brinco quando estou parada a pensar na roupa que tenho de estender. 
Mas eu vou voltar, e explico tudo. Ok?

sexta-feira, 3 de julho de 2015

I&N

Sou daquele tipo de mulher que gosta tanto de ir a casamentos (já fui gozadíssima....), para mim é mesmo uma festa bonita. 
É que ali, de repente, forma-se uma nova família, surgem novas vidas, então quando é um casamento de alguém de quem eu tanto gosto, ainda melhor....
Quando sabes que no namoro eles lutaram bem um pelo outro, quando sabes que se querem muito e que estão totalmente disponíveis, quando sabes que se importam pela felicidade do outro, como podes não gostar de casamentos?
Amanhã a I&N vão se casar, a I já foi blogger desta HEart (saudades!!!!), para mim é uma amiga muito especial, ensinou-me que ser vegetariana não é só tofu nem seitan, é uma rapariga que sabe quebrar convenções e seguir os seus sonhos, não se importa com o que os outros pensam dela, e faz um sushi maravilhoso.
Lembro-me tão bem quando I&N começaram a namorar (eu estava lá, naquela aldeia), e quando a I me ligou a contar que estava noiva surgiu-me novamente a imagem dos dois miúdos, que cresceram, caramba eles tem tudo para dar certo pois são tão diferentes entre eles e tão amigos entre eles.
Amanhã é um grande dia! Não porque duas pessoas vão casar.... mas porque duas pessoas que sabem o que é o casamento vão casar.
 
 
 

quinta-feira, 2 de julho de 2015

quarta-feira, 1 de julho de 2015

#lovewins

Sempre achei que o amor não precisava de lobbys:
 
Quando o amor é a preto e Branco
 
Amor e Orgulho 

"Fala-se nestes dias muito de amor de tal forma ensurdecedora que não o reconheço.
O amor, na minha experiência, não é orgulho mas discrição, dá-se sem se querer fazer notar todos os dias, a cada dia, em cada gesto, em todos os gestos.
O amor é mais trabalho que festa. É trabalho que é festa.
O amor é mais pequeno que grande. Quando mais pequeno, mais grande fica.
O amor é humilde. Não exige direitos, não dá opinião, não argumenta, não quer ter razão.
O amor silencia e não exalta. É mais silêncio que palavra.
O amor é ordeiro. É acção ponderada e livre, é escolha e compromisso, é obediência.
O amor é sacrifício, tantas vezes pouco colorido e difícil de viver.
O amor é paciente. Encontra, conhece, espera e aprende.
O que for que se anda a festejar, se é amor, não o reconheço."
 
Inês Dias da Silva
Tirado d'aqui: POVO

É Verão!


 
Começou o Verão. Por aqui, começou também a época balnear. Montámos a piscina que o tio F e a tia T ofereceram ao afilhadito, arranjámos um belo tapete de relva sintética para cobrir um pouco da calçada e comprámos um rádio baratinho, porque o antigo sofreu uma pequena queda de uma altura suficientemente grande para lhe provocar danos irreparáveis.
Nós, por cá, gostamos muito de música. Alguns já tocam umas coisinhas. Fora isso, com o rádio, preparada a nossa playlist preferida, já podemos cantar e dançar até cair. Muitas vezes, cair literalmente!
Com isto, inicia-se também a fase culinária que eu mais gosto que é a época das sandes com alface e tomate, as tostas mistas, os sumos de fruta e, claro, de vez em quando tem de ser, os gelados. Para além disso, claro está, os belos churrascos marcam lugar e deixam-me a cozinha bem mais arrumadinha que os outros menus.
É uma época maravilhosa porque estamos na rua até às dez da noite e nem nos apercebemos que o dia terminou. Ao olhar os miúdos a brincarem uns com os outros, na água, com grandes gargalhadas e alguns pirolitos, o mundo parece perfeito. O 4º começa agora a aguentar os pirolitos sem desatar a fugir da piscina. Olha para mim, sorri e sente-se vitorioso  por conseguir libertar-se da água que teima em entrar pela boca dentro.
Hoje, para além disso, recebemos a visita de amigos e uns estiveram no faz-de-conta, outros mantiveram-se no bem bom da piscina e outros participaram numa pintura conjunta que resultou em dois quadros muito engraçados.
O lado bom de se estar 100% dedicada à família é o ter tempo. Ter tempo para fazer grandes trapalhadas, dizer tontices, perder as estribeiras, mas também o ter tempo para pedir desculpa, falar, esclarecer, ensinar e rir em conjunto.
Tenho a certeza que os meus filhos conseguirão tirar muitas coisas positivas das minhas tontices. Para mais, tenho a certeza  que, se não fossem eles, eu seria praticamente intragável de tanta soberba.
Estamos agora na fase das férias escolares. Uma época bem difícil, sobretudo quando ainda não se pode recorrer aos planos de férias de que falei anteriormente (os meus ainda não tem idade de acesso), de grande resiliência para aguentar um non-stop, um show must go on em permanência. Ainda só passou uma semana e meia  e já me parece que fui ligeiramente atropelada por camião.
Os mais velhos estão a aproveitar esta fase das férias para aprender a nadar, numa espécie de curso intensivo de natação. O primeiro está em grande. O segundo foge a sete pés do treinador, como se fosse possível aprender a nadar com água pelo tornozelo. Quando levo a terceira para assistir à aula é um corropio porque fala que se farta  e está sempre a queixar-se de alguma coisa, pois o mundo inteiro insiste em contrariá-la. Quando levo o quarto, inicialmente, temos uma fase de encantamento, em que olha para tudo o que é sítio, completamente especado, depois, entramos no momento do “quero fazer chichi”, do “quero água” e depois “o que é isto?”, “os manos?”.
No final do dia, uns adormecem na sopa e os que não adormecem pedem para ir para a cama ainda antes de terminar a refeição. Eu? Eu estou de rastos e até adormeço no computador.